All posts by Irmã Júlia

FotorCreated

AMIZADE

Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica…

                                                        Vinicius de Morais

 

Sem Título-1

Novena e Missa em honra a Santa Júlia Billiart

A comunidade da Capela Santa Júlia de Cruzeiro do Sul, Acre, realizou-se nos dias 10, 11 e 12 a novena e Missa em honra a sua Padroeira Santa Júlia Billiart.Sem Título-1

No primeiro dia da novena Padre Francisco Nepomoceno falou de Santa Júlia com muita convicção dizendo que todos os batizados são chamados ser santos e santas. Que Santa Júlia tinha um grande diferencial no seu modo de vivenciar a bondade de Deus.
Destacou três pontos importantes na vida de Santa Júlia.

Santa Júlia tinha firmeza e bondade, essa duas características fez de Júlia uma mulher corajosa, forte e generosa.

Santa Júlia tinha uma fé inabalável. Ela era cheia de Deus, acreditava e confiava fielmente no Deus bom e Providente. Ele dizia ainda quando uma pessoa está imbuída de Deus ela transmite somente coisas boas como santa Júlia o firmava constantemente Oh! Quanto é bom o Bom Deus.

Essa Capela tem o nome de grande Mulher e todos nós podemos aprender de Santa Júlia ser bom, levar Jesus Cristo a todos os lugares. E nos momentos difíceis da nossa vida dizer Oh! Quanto é bom o bom Deus.

No encerramento da novena tivemos como Celebrante o Dom MoséSem1 João Pontello. Antes da Celebração ele disse que 75% das Irmãs da comunidade estão presentes e falta o 25% que é a Ir. Adila.

Iniciou sua homilia dizendo que o girassol foi um símbolo muito importante na vida de Santa Júlia e que hoje é um símbolo também importante na vida das Irmãs de Nossa Senhora. O girassol procura a claridade e nós precisamos procurar essa luz para guia na nossa vida etc.
Que Santa Júlia Billiart roga por todas as Irmãs de Nossa Senhora.

Ir. Marilene Rodrigues, SND

destaque2

Colégio Ipanema celebra Jubileu de Ir. Ulda Maria Mattje

Na sexta-feira (10), os estudantes de 6º Ano do Ensino Fundamental do Colégio Notre Dame Ipanema participaram da largada para a Pastoral em Fórmula 1. O projeto, idealizado pelo agente DSC_0006 de Pastoral, Henrique Kaladan, usa elementos característicos das corridas automobilísticas, nos encontros de formação, para aproximar os jovens de Deus.

Como parte do projeto, a manhã de sábado (11) foi reservada para que os estudantes do 6º Ano, suas famílias, educadores e funcionários do Colégio Notre Dame participassem de missa na Capela do Colégio. Na procissão de entrada dos estudantes e na ornamentação da capela, estavam expostas maquetes que reproduziram espaços significativos da cidade de Jerusalém, inspiradas por visita ao Centro DSC_0114 Cultural Jerusalém (CCJ). O local tem como missão promover a integração da sociedade brasileira com a História da cidade santa, buscando apresentá-la de forma interativa.

Na cerimônia, as Irmãs de Notre Dame também comemoraram o Jubileu de Ouro de vida religiosa de Ir. Ulda Maria Mattje, representante legal da Mantenedora no Colégio. A atribuição da data se dá aos 50 anos dedicados a proclamar a bondade de Deus e seu amor.

Durante a missa, o Padre DSC_0162  Manuel Moreira Vieira usou a citação do Papa Francisco sobre o “ano da Vida Consagrada” como forma de homenagear a Jubilante. “Religiosos são mulheres e homens queque podem acordar o mundo”, afirmou. Após confirmação dos votos, Ir. Ulda recebeu o carinho dos familiares e amigos que se fizeram presentes no evento.

http://ipanema.notredame.org.br/sabado-de-celebracao-no-colegio-notre-dame/

destaque2

DSC_0178

Vocação e Profissão de mãos dadas

Ser religiosa de vida apostólica ativa, envolve um aprofundamento do ser religioso bem como uma busca de formação profissional para melhor responder aos desafios da missão.

DSC_0178

              Ir. Ângela Thums, SND

No mês de junho, Ir. Ângela Thums, educadora e atuante junto à evangelização da juventude, recebeu a titulação de MESTRE, pela dissertação defendida em fevereiro de 2015: Práticas de Gestão de Cultura Escolar:  um estudo de caso na Escola Municipal Santos Anjos. A religiosa agradece a todas as pessoas que a ajudaram na caminhada. Destaca:

“Meu trabalho não seria possível sem a inestimável ajuda e o suporte de algumas pessoas. E seria ainda mais impossível dimensionar, no papel, a extensão de todo o meu agradecimento. Ainda assim, não poderia deixar de demonstrar, mesmo que de forma singela, a minha gratidão:A Deus, pelo dom da vida, sobretudo pela bênção e proteção nas viagens semanais.À Congregação de Nossa Senhora e à Rede de Educação Notre Dame, pela oportunidade e credibilidade a mim confiada.”

Ir. Ângela, receba os cumprimentos das Irmãs de Nossa Senhora – Notre Dame.

 Por Ir. Lenice Rebelato, SND

20150627_PassoFundoPilgrim

O QUE SIGNIFICOU PARA MIM A PEREGRINAÇÃO?

E difícil descrever o que essa peregrinação significou para mim. O que mais me marcou, durante essa peregrinação foi conhecer as Raízes de nossa Congregação na Alemanha, onde tudo começou. Vivi e experimentei muitas emoções diferentes. Em primeiro lugar, agradeço profundamente à Congregação, ao Conselho Geral e Provincial e à minha Comunidade, por toda ajuda. Os meus sentimentos de eterna gratidão às irmãs todas que nos acompanharam, em Roma e na Alemanha. Obrigada por confiarem este lindo trabalho a mim. Senti-me duplamente privilegiada com este grande presente.

Andar em peregrinação com um grupo e viajar uma pequena distância a cada dia, foi e é certamente uma experiência única que a bondade de Deus me concedeu como presente nesta etapa da minha vida. Procurei estar aberta a ouvir, sentir e viver e, com o desejo profundo de penetrar mais profundamente nas raízes de nosso passado, percorrer os espaços Históricos e Sagrados. Isto me fez saborear a jornada e ver com os próprios olhos uma outra realidade. Contemplar e reverenciar a vida doada, apreciar o sagrado de cada momento e assim envolver-me mais com o Divino que perpassa toda a minha história vocacional.

Peregrina – não porque tive todas as respostas que procurava, mas porque coloquei-me aberta ao Espírito. Se tenho interrogações, não estou sozinha, mas estou em busca de Deus que tem as respostas para todas as minhas buscas e anseios como Irmã de Nossa Senhora.

                 Ir. Maria Ines Zeiser, SND

Para mim o peregrinar com o grupo nos diversos lugares, não é e não foi apenas para buscar o passado como passado, mas para viver a plenitude da vida. As igrejas de Roma são espaços muito tranquilos, estranhamente vazias a maior parte do tempo, mas cheias da beleza e de vida. Elas nos falam uma língua diferente do mundo que está ao redor delas. Elas não querem ser vistas como se fossem Museus. Elas querem, sim, convidar-nos a entrar, silenciar e apreciar a sua beleza. Sentar com tranquilidade ou nos ajoelhar e escutar, com atenção, a voz de Deus e entrar em contato profundo com o todo nosso ser. Este contato com o misterioso Dom de Deus que eu sou.

Assis também foi um lugar que me falou muito da simplicidade e da pobreza em que hoje marca as pessoas que visitam este lugar.A beleza do lugar, suas igrejas, suas ruas, as belezas naturais e seu passado me fazem acreditar que havia algo maior pelo qual tantas pessoas deram a sua vida a Deus em todos os sentidos, o Deus que caminha e que atrai tantos que estão em busca de um sentido maior em sua vida.

É também experimentar a partilha da vida e da riqueza como também sentir o caminhar de Nossa Congregação Internacional na Casa Mãe, com toda a sua riqueza de culturas e de pessoas. O trabalho incansável de nossas Irmãs das diversas Províncias, na casa Mãe, trazendo suas riquezas e seus valores na diversidade das culturas para colocá-las a serviço da Congregação e do Reino. Partilhar a vida, os dons e qualidades e todo o trabalho que é realizado ali pelas irmãs nos une mais ainda como Congregação. Partilhar da vida e missão, rezar e celebrar a Eucaristia com as Irmãs da casa Mãe e com as Irmãs da Alemanha, Holanda e Itália foram momentos muito marcantes e significativos, nem sempre compreendidos totalmente por causa da língua diferente, mas são de grande valor.

Ver as raízes e a origem de Nossa congregação me motivou a buscar uma maior sintonia com as irmãs e a Congregação, através da leitura e o aprofundamento de nossa História Congregacional.

Algo que mais me marcou e foi muito significativo e me emocionou muito foi poder celebrar a Eucaristia junto ao túmulo de Santa Julia, em Namur. Unir-me em oração neste momento com todas as Irmãs de Notre Dame e trazer presentes as milhares de Irmãs que por causa de Santa Julia se tornaram as mensageiras da bondade de Deus em todo o mundo, foi uma graça especial. E todas nós somos agraciadas, hoje, pois continuamos a difundir a bondade de Deus no mundo. No peregrinar, se faz ricas experiências. Só posso dizer obrigado, Senhor, pelo teu imenso amor e bondade.

Descobrir que estou viajando para dentro de mim é descobrir que Deus me fala pelo caminho. Ele me atrai para dimensões mais profundas, dando-me novos olhos para perceber a beleza de sua criação. Ouvidos novos para ouvir os apelos e uma nova língua para falar, vivenciar uma nova paz e um novo encanto pela vida. Observar o rosto de tantas pessoas, em todos os lugares, nos faz ver um mundo diferente e acolher de modo novo os anseios mais profundos.

Conhecer e reverenciar o coração da Igreja e as raízes da congregação é deixar- se tocar de novo pelo amor de Deus que nos impulsiona. Percorrer os lugares e espaços históricos e Sagrados é entrar em contato com a minha história pessoal e Congregacional, é sentir parte deste grande projeto de Deus.

Peregrinar é uma experiência íntima, profundamente sagrada e difícil de descreve, mas cheia da bondade e do amor de Deus. Essa peregrinação foi para mim uma grande expressão de fé, de convívio sereno e fraterno com as irmãs, de novas luzes, de acolhida do diferente e dos anseios mais profundos do meu ser Irmã de Nossa Senhora. Um tempo de renovação, um tempo de gratidão e louvor e experiência de vida, na Congregação e na Igreja.

Obrigada pela rica oportunidade e pela grande experiência de vida.

Obrigada!

Ir. Maria Ines Zeiser, SND

http://snd1.org/wp-content/uploads/2015/06/20150627_PassoFundoPilgrim_P.pdf

velas-decorativas-vela-em-casca-de-coco-7302-MLB5192422446_102013-F

Celebração das Festas Juninas

                       Celebração das Festas Juninas

13 de junho comemoramos Santo Antônio
24 de junho comemoramos São João Batista
29 de junho comemoramos São Pedro e São Paulo

D. 2. Os pobres reconhecem seus santos como seus advogados que por terem defendidos suas causas, pagaram o preço dessa ousadia. Eles deram a vida, foram judiados e martirizados. Na glória de Deus, porém, continuam vivos. Por isso a Igreja os venera.

2

D. 1: Santo Antônio, conhecido em Portugal como o Santo de Lisboa, por ter nascido nessa cidade e, na Itália, como o Santo de Pádua, por ter morrido nessa outra cidade, é também um dos santos mais conhecidos e celebrados no Brasil. Santo Antônio, doutor da Igreja, foi ilustre pregador do Evangelho e discípulo de São Francisco de Assis, do qual imitou o amor à pobreza e o zelo pela conversão dos pecadores.

Canto: Ref:/: Santo Antônio, rogai por nós! Intercedei a Deus por nós:/

1. Pregador do Evangelho – Intercedei!
Pelo povo abandonado – Intercedei!
Para sermos mensageiros – Intercedei!
Da justiça e da esperança – Intercedei!

2. Para o mundo ser mais justo – Intercedei!
Pela paz da humanidade – Intercedei!
Para sermos mais fraternos – Intercedei!
Para acharmos o perdido – Intercedei!

velas-decorativas-vela-em-casca-de-coco-7302-MLB5192422446_102013-F

D. 2. São João Batista: O dia do nascimento de São João Batista é comemorado pela Igreja como solenidade, São João Batista é o precursor de Jesus Cristo. A Igreja o apresenta de maneira solene: “Houve um homem enviado por Deus: seu nome era João. Veio para dar testemunho da luz e preparar para o Senhor um povo bem disposto a recebê-lo”. Ele é o maior entre os nascidos de mulher, o único dos profetas que mostrou o Cordeiro Redentor, o Batista que batizou o autor do batismo e o mártir que deu verdadeiro testemunho de Cristo.

Canto: Ref.:/: João Batista, vem ensinar, os caminhos a preparar:/

Leitor: Diante de São João Batista, encontramo-nos com um homem coerente. Ele exige a conversão pelo testemunho de vida e pela pregação. Convida-nos a preparar os caminhos do Senhor pela prática da justiça. João Batista não se coloca no primeiro lugar. Ele vem a serviço do Messias (At 13,22-26). Ele aponta para o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. É preciso que ele cresça. João pode desaparecer. Ele é a voz, o som que ressoa no deserto: preparai os caminhos do Senhor. A palavra é Jesus. João constitui a ressonância da Palavra.

Canto: Ref.:/: João Batista, vem ensinar, os caminhos a preparar:/

Leitor: Diante de João Batista nos sentimos pequenos. “Que virá a ser este menino?” perguntaram as pessoas (Lc 1, 57-66.80). No cântico de louvor, o pai diz quem ele é: “E tu, menino, serás chamado o profeta do Altíssimo porque irás adiante da face do Senhor a preparar os seus caminhos.” (Lc 1,76). “Ele será grande diante do Senhor”. (Lc 1,15)

Canto: Ref.:/: João Batista, vem ensinar, os caminhos a preparar:/

Leitor: A comunidade cristã contempla hoje as grandes coisas que Deus realizou em João Batista desde o seio materno (Is 49, 1-6). Por elas dá graças, nelas se inspira, pois cada um de seus membros é chamado a ser a voz de Cristo, a preparar os caminhos do Senhor, a dar testemunho por sua vida e sua palavra. Todos nós somos chamados a ser João Batista, a mostrar Cristo presente entre os homens e as mulheres de nosso tempo. Que João Batista interceda por nós e por toda a Igreja.

Canto: Ref.:/: João Batista, vem ensinar, os caminhos a preparar:/

D. 1. Os santos São Pedro e São Paulo são chamados “as colunas da Igreja”. Pedro e Paulo sempre estiveram juntos.

Canto: Ref.:/ Ó São Pedro rogai por nós, intercedei a Deus por nós.
Ó São Paulo rogai por nós, intercedei a Deus por nós.

L. 1. Pedro, o primeiro a proclamar a fé, fundou a Igreja primitiva sobre a herança de Israel.

L. 2. Paulo, anunciou a doutrina, manifestando às nações o Evangelho da salvação.

L. 1. Pedro, homem volúvel e frágil, mas ao mesmo tempo decidido, é objeto de uma atenção especial por parte de Jesus Cristo. Homem corajoso e decidido, que professa sua fé em Jesus Cristo, está disposto a acompanhá-lo em sua paixão, caminha sobre as águas, quer defender o seu Mestre, mas ao mesmo tempo tão frágil, a ponto de trair o seu Mestre, negando conhecê-lo por três vezes. Mas é sobre esta fragilidade fundamentada na fé que Cristo quer edificar a sua Igreja.

L. 2. Paulo, homem zeloso, que passou de perseguidor fanático da Igreja a apóstolo totalmente dedicado à pregação do Evangelho. Temperamento forte e difícil, afirma ter realizado mais que todos os outros apóstolos juntos, mas não ele, e sim a graça de Deus nele. Cresce no amor a Cristo, a ponto de poder dizer: “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”.

Canto: Ref.:/ Ó São Pedro rogai por nós, intercedei a Deus por nós.
Ó São Paulo rogai por nós, intercedei a Deus por nós.

L. 1. Pedro representa mais o aspecto institucional da Igreja, o magistério, a autoridade.

L. 2. Paulo revela mais o seu aspecto carismático e missionário.

L. 1. Pedro foi o primeiro a aceitar os gentios na Igreja.

L. 2. Paulo também precisou de alguma organização nas comunidades que fundou.

L. 1. “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!”

L. 2. “Combati o bom combate, terminei a minha carreira, conservei a fé”.

Canto: Ref.:/ Ó São Pedro rogai por nós, intercedei a Deus por nós.
Ó São Paulo rogai por nós, intercedei a Deus por nós.

D. 1 – Os apóstolos Pedro e Paulo doam-se totalmente à causa da Igreja. A esta mesma vocação nós fomos chamados. Importa confiar no Senhor, buscando n’Ele a sua força. A nossa fé em Jesus Cristo passa pelos apóstolos e passa pela Igreja. Somos todos convidados a dar graças a Deus pela Igreja de Cristo fundada sobre os apóstolos e especialmente sobre o primado de Pedro e Paulo.

Todos: Ó Deus, que hoje nos concedeis a alegria de festejar estes santos, nossos mediadores junto de vós, concedei à vossa Igreja, seguir em tudo os ensinamentos destes apóstolos e mártires, que nos deram as primícias da fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo na unidade do Espírito Santo. Amém.

Canto:
1. Ide por todo o universo meu Reino anunciar./ Dizei a todos os povos que eu vim pra salvar / Quero que todos conheçam a luz da verdade,/ possam trilhar os caminhos da felicidade

Ide anunciar minha paz, ide sem olhar para trás.
Estarei convosco e serei vossa luz na missão! (Bis)

2. Vós sois os meus mensageiros e meus missionários./ Ide salvar o meu povo de tantos calvários./ Minha verdade liberta e a vida promove,/ meu Evangelho ilumina e as trevas remove.

3. Eu anunciarei o meu Reino na cruz e no templo,/ dei minha vida por todos, deixei meu exemplo./ Quem por amor der a vida, será meu amigo/ e na riqueza do Pai terá parte comigo!

Autor Desconhecido

Encontro-Ir.-Aracy-4

Funcionários participam de encontro com a Superiora Provincial, Ir. Araci Ludwig

Na manhã de terça-feira (23), os funcionários do Colégio Notre Dame Aparecida participaram de um encontro com a superiora da Província de Santa Cruz da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora, Irmã Araci Ludwig. Acompanhada pela Gestora Pedagógica da Rede de Educação Notre Dame – que é mantida pela ordem religiosa -, Irmã Elci Favaretto, a provincial esteve, desde segunda-feira (22), realizando vista canônica à comunidade escolar.

Durante a conversa com os colaboradores, Ir. Araci falou sobre o carisma de Santa Júlia Billiart, cujos princípios e perfil educacional inspiram a proposta pedagógica das instituições de ensino Notre Dame.

De acordo com a religiosa, Júlia tinha o dom de compreender a experiência da bondade de Deus e os envolvidos nos cotidianos escolares, além de aplicar os dons que são inerentes à cada um, no transcorrer de sua trajetória profissional, compartilham do carisma da Santa, proclamando que Ele é bom. “Vocês são parte do que chamamos de nossa família-carisma. O Espírito Santo também lhes dá, em sua originalidade própria, o dom do carisma dado à Júlia Billiart e às primeiras Irmãs em Coesfeld, para ser compartilhado na missão”, salientou.

A superiora destacou, ainda, que o carisma dá um novo significado ao trabalho de cada um e, ao mesmo tempo, vida e sentido à instituição, dando a ela carácter e uma identidade única. “O carisma deve ser sentido na atmosfera da instituição, no ar que respiramos”, frisou, estimulando os participantes a refletir sobre, a partir de alguns questionamentos: Isso condiz com o que queremos ser? Estamos verdadeiramente refletindo a bondade de Deus em nossa instituição? Estamos atingindo os outros com a bondade de Deus, com Jesus, com o Evangelho, com o amor proveniente de Deus? O que as pessoas sentem quando entram na nossa escola? Experimentam a paz, a bondade? Sentem que estão sendo cuidadas, ouvidas, respeitadas?

Por fim, Ir. Araci reiterou que o carisma de Santa Júlia deve nortear as atividades diárias, sendo praticado e cultivado por todos. “É uma atitude que exige um grande cultivo interior, é o trabalho de construção do caráter, da personalidade. Vocês devem olhar honesta e diariamente para si mesmos e perguntar: como posso ser uma pessoa melhor, como posso ser mais gentil, melhor ouvinte, sensível aos outros e valorizá-los?”, encorajou os colaboradores.

Por fim, agradeceu aos funcionários pelo trabalho que desenvolvem, cada um na sua importante função, e parabenizando a todos pelos 85 anos de fundação do Colégio Notre Dame Aparecida, comemorados em 2015.

Encontro-Ir.-Aracy-4

 

DSCN9075

Graus do amor

Um sábio chinês afirmou que, se lhe fosse dado o poder de governar o mundo apenas por um minuto, ele iria fazer uma coisa só: “restabelecer o verdadeiro sentido da palavra amor”. Sim, a compreensão do amor está muito deturpada. Confundimos amor com prazer, desejo, interesse, atração, paixão. A verdade é que o amor é como o arco-íris, tem tonalidades diferentes. Semelhante a uma escada, o amor tem degraus e graus. O amor de concupiscência, que e ainda egocêntrico, difere do amor de benevolência que quer o bem do outro. O amor filantrópico tem razões diferentes do amor teocêntrico. O primeiro é humanitário, o segundo fundamenta-se em Deus.

Pode acontecer que em determinadas áreas de nossa personalidade, atingimos um grau elevado de maturidade no amor e noutras somos ainda imaturos. Vivemos experiências onde nos sentimos como anjos e noutras ainda como animais. Às vezes somos parecidos com as crianças e outras vezes, percebemos que somos capazes da gratuidade e doação generosa. São os paradoxos e as ambigüidades que permeiam a arte de amar. O amor de amizade, é um grau elevado de amor, embora o amor-ágape, é o amor em sua máxima expressão, porque é doação de si, sem esperar recompensas, sem interesses, visto que é dar a vida pelo outro. É o amor que se desvela em benevolência, cuidado do outro, altruísmo, disponibilidade, paciência, perdão.

DSCN9075 Na verdade o amor é uma composição de vários elementos como: auto-estima, amizade, intimidade, enamoramento, fidelidade, dom de si. Desde a filosofia grega, o amor foi refletido em graus e tonalidades diferentes. O “amor-concupiscência” (porneia) é a experiência do amor carnal, interesseiro, voraz, até instintivo, como por exemplo, a criança que mama. O “amor-dependência” (phaté), comporta ciúmes, submissão, controle do outro.

Temos em seguida o “amor-eros” que se caracteriza pela atração, libido, impulso, desejo, calor humano. O “amor-jogo”(ludus) é o vale tudo, a orgia, a falta de pudor, a liberdade sem limites. O “amor-posse” (mania) é a dominação, o apego, a manipulação e a obsessão pela pessoa amada. O “amor-espelho” (pragma), representa as pessoas que procuram alguém que faz o seu tipo, o seu estatus, alguém igual a si mesmo, seu espelho. O “amor-ternura” (storge) é o carinho, respeito, valorização, acolhimento, admiração do outro. O “amor de amizade” (filia) é o altruísmo, partilha, dedicação, benevolência. O “amor-compaixão” (káris) é a sensibilidade pelo outro, a misericórdia, a reconciliação, o bem-querer, a bondade, a salvação do mundo. Na escala grega, por fim, vem o “amor-ágape”, que é a maturidade no amor, desejar o que outro deseja, estar a serviço do outro sem esperar vantagens, capacidade de morrer pelo amado.

A moral católica ensina também uma “ordem do amor”. Assim, o amor conjugal tem primazia em relação ao amor pelos filhos. Já o amor pelos filhos tem prioridade ao amor pelos pais. Eis então a hierarquia do amor: amor conjugal, amor pelos filhos, amor pelos pais, amor pelos irmãos, amor pelos parentes, amor pelos amigos. O que importa mesmo é que o amor não tem limites. Jesus ensinou e praticou o amor aos inimigos, aos pecadores, aos pobres. Em Jesus, amor e verdade, se abraçam, amor e justiça são inseparáveis. A medida do amor é amar sem medidas.

O amor é palpável e inefável, ternura e fidelidade, misericórdia e verdade. Tem força centrífuga, tende para a união. Onde está o amor ali está Deus. O amor é lugar da epifania de Deus. A vida humana é na verdade uma história do amor de Deus, mesmo quando sofremos, superando a dor. É preciso aprender a amar. Na escola do amor ninguém se aposenta, somos aprendizes e discípulos na arte de amar, até o fim.

O amor é nossa identidade, nosso nome, nossa vocação. É um desejo e compromisso de aliança, é encontro de duas liberdades. O amor é o melhor que nos pode acontecer. O amor basta. Quando se ama não se coloca em questão o sentido da vida. Um gesto de amor vale mais que toda a massa de matéria do universo, dizia Pascal. O Criador é o Ser que nos faz ser. É próprio do amor sair de si mesmo. Somos o centro do amor de Deus. Ele nos desejou desde sempre, nos criou e recria a cada instante. Seu amor nos conduz providencialmente. Aceitar ser amados, crer no amor, deixar-se amar, sentir-se amável, eis nossa resposta ao amor de Deus.

Dom Orlando Brandes
Arcebispo de Londrina

Francis

SR. M. FRANCES RECEBE PRÊMIO EDUCACIONAL, CALIFÓRNIA, USA

Francis

                     Sister Mary Frances Wahl

Irmã Mary Frances Wahl recebeu recentemente o prêmio por Excelência no Serviço da Catequese na Região de S. Pedro, um dos cinco regionais da Diocese de Los Angeles, Califórnia. O prêmio é dado aos melhores educadores religiosos indicados por seus colegas, cada ano. A Irmã viajou para Lakewood, Califórnia com um grupo de amigos para receber o prêmio do Bispo Oscar Solis, bispo auxiliar da Região S. Pedro.

Educadores religiosos, ou catequistas, dispõem seus dons e talentos e seu tempo ensinando a fé católica aos estudantes desde do primeiro e segundo grau e também para adultos.

Como Coordenadora da Catequese, Irmã Mary Frances, orienta outros educadores de religião durante um programa de 40 horas. Apoiar outros professores é a parte principal do seu trabalho.

“Tenho realmente compaixão dos voluntários que trabalham o dia todo. São mães e pais e estão dando horas do seu tempo para vir e ensinar as crianças; merecem consideração e apoio por isso”, disse.

Irmã Mary Frances sabe quanto pode ser exigente o serviço de um educador de ensino religioso. Ela começou sua carreira lecionando ensino religioso no Segundo Grau na Escola Católica Saint Columba, em San Diego, quando ainda estava ela mesma na escola secundária. Percebeu que muitos catequistas na sua paróquia de origem não tinham preparação suficiente, por isso começou a desenvolver um programa de treinamento para eles.

“É muito divertido ir com os jovens e em retiros de confirmação. As crianças começam a pensar ‘Eu desafio você a fazer alguma coisa comigo’, mas logo se veem florescendo e ansiosos por chegar a conhecer a Deus. Mesmo os mais irrequietos começam a sentir o Espírito agindo neles,” disse. Seus estudantes, tem frequentemente curiosidade, sobre sua vida como Irmã de Notre Dame. Eles perguntam como ela pode viver sem casamento e vida familiar, por causa de sua consagração.

“Sou muito honesta com eles”, diz,  “Sempre tem sacrifícios, não importa o que você escolher: casamente, vida de solteiro, ou vida consagrada. Os jovens precisam ver a variedade das vocações e agir juntos para a beleza da Igreja”.

ARM_0111

Compromisso com a educação e a evangelização

No sábado (30), educadores e colaboradores, estudantes e seus familiares, além de religiosas da Congregação de Nossa Senhora – mantenedora da Rede de Educação Notre Dame – festejaram as sete décadas de compromisso com a educação e a evangelização do Colégio Notre Dame Rainha.

Pela manhã, ex-alunos da instituição de ensino se reuniram com a Ir. Fátima Maldaner para relembrar a convivência e o aprendizado vivenciados no Colégio.Enquanto eles se encontravam com as memórias, um pedágio, no qual eram distribuídos brindes e a publicação comemorativa ao 70º aniversário do Colégio Notre Dame Rainha, era realizado, em parceria com a Rádio Show, em frente à instituição de ensino.

À tarde, na Igreja Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, o bispo auxiliar para a Educação da arquidiocese de São Paulo, Dom Carlos Lema Garcia, celebrou a cerimônia em ação de graças pela comemoração, acompanhado pelo pároco Padre Antonio Ferreira Naves.

A celebração teve início com a acolhida de símbolos que fazem parte do cotidiano escolar: os girassóis foram levados ao altar pelas religiosas que residem e atuam na comunidade do Colégio e a Bíblia Sagrada, as imagens de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos e de Santa Júlia Billiart e as bandeiras do Brasil, de São Paulo e da instituição de ensino foram conduzidas por educadores, estudantes e colaboradores Notre Dame Rainha.

Na igreja, era notória a emoção de todos os presentes. Afinal, muitos ex-alunos agora são pais e avós de estudantes do Colégio. Eles e todas as demais crianças e adolescentes que, atualmente, aprendem lições para vida nessa instituição foram representadas, durante a cerimônia, por 70 membros do corpo discente. Os estudantes empunhavam bandeiras comemorativas do aniversário.

Os 70 anos de história, com vistas no futuro, foram representados pelas ex-alunas Stela Napoli e Benedita Gruppi, que deixaram o Colégio em 1945. Acompanhadas de estudantes que ingressaram no colégio em 2015 e precedidas pela atual diretora Irmã Elena Bini, elas levaram ao altar a revista que comemora o aniversário por meio de 70 relatos diferentes de membros e ex-membros da comunidade educativa Notre Dame Rainha.

Logo após a missa, religiosas, educadores e colaboradores do Colégio se reuniram para confraternizar. Nesse momento, a superiora da Província da Santa Cruz da Congregação, Ir. Araci Ludwig, agradeceu ao Colégio Rainha dos Apóstolos.

“O Colégio Notre Dame Rainha, como uma escola católica, com valores e princípios cristãos e humanos, com acento especial à Pastoral, auxilia a Congregação a manter vivo o seu carisma. Pois, como escola se torna um espaço de evangelização e catequese. Trata-se de uma educação diferenciada, que faz parte da missão Notre Dame, desde a sua origem, com Júlia Billiart em 1804, na Bélgica, e com as fundadoras da Congregação em Coesfeld (Alemanha), em 1850″, destacou. Ir. Araci também parabenizou aqueles que fizeram e fazem parte desses 70 anos. “Parabéns a todas as Irmãs que hoje trabalham e vivem aqui, mas também a todas que já passaram por esta escola, como diretoras e educadoras. Lembro também os professores e demais pessoas que conosco acreditaram, e ainda acreditam, que é pela educação que podemos mudar uma história, transformando conhecimento em atitude”, festejou.

A diretora escolar, Ir. Elena Bini, agradeceu o trabalho de todos, pois é da união que nasce a excelência do Colégio Notre Dame Rainha. “Obrigada pela participação e carinho dedicado ao Colégio Notre Dame Rainha, aos estudantes, às famílias e às irmãs. Que o bom Deus e Santa Júlia abençoem e cuidem de cada um, de cada uma que fez história no ontem, faz no agora e fará no amanhã nessa instituição”, enfatizou.

Irmã Araci Maria Ludwig, SND

ARM_0111