All posts by Irmã Júlia

DSC_8798

Irmã Maria Diva Scottá conduz um momento Mariano

A fim de reconhecer o amor de Maria que, através do seu sim, trouxe ao mundo o Filho de Deus, para libertar o homem do pecado, ensinando-o a viver em fraternidade, os estudantes de Ensino Fundamental I da Escola Notre Dame Menino Jesus participaram de cerimônias de coroação de Maria.

Reunidos, turma a turma, na capela da instituição de ensino para o momento de reflexão e oração, os educandos assistiram à explanação da agente de Pastoral, Ir. Maria Diva Scottá, sobre a vida de Nossa Senhora e os valores sob os quais a sustentou.

Coroação de Maria (6)A religiosa ainda esclareceu a relação de Nossa Senhora com a Congregação que mantém a Rede de Educação Notre Dame. Por ter sido fonte de inspiração para a mãe espiritual da ordem religiosa, Santa Júlia Billiart, a Congregação, fundada em 1804, leva o seu nome e a tem como padroeira. Dessa forma, seus princípios estão presentes na evangelização cotidiana, promovida pela Irmãs, em todas as suas frentes de trabalho: assistência social, educação, saúde e missãoCoroação de Maria (8).

Antes de agradecer e fazer suas preces à mãe do filho de Deus, ao entoar cânticos os estudantes assistiam a um representante do grupo repousar sobre a sua imagem a coroa que a sinaliza como Rainha do céu e da terra. “Queremos dar glória a Deus, coroando Maria, pois seu amor é infinito: em seus braços cabe o mundo e sob seu manto toda a humanidade”, justificou Ir. Maria.

http://meninojesus.notredame.org.br/estudantes-saudam-nossa-senhora/

DSC_8798

 

DSC_0504

Festa jubilar das Irmãs da Casa Betânia

A festa jubilar das Irmãs da Casa Betânia ocorreu neste último domingo, dia 24 de maio, dia de Pentecostes.

DSC_0060

As seguintes Irmãs celebraram sua fidelidade a Jesus Cristo e à Congregação: Irmã Maria Beatriz Plentz – jubileu de Graça (70 anos) Irmã Maria Enriqueta Centenaro e Alzira Bordignon- jubileu de Ferro (65 anos) Irmã Maria Elisabetha – jubileu de ouro (50).

Esta festa foi precedida por uma bonita preparação, em que as jubilandas fizeram a memória de sua trajetória vocacional e sua missão. Percebeu-se uma riqueza de vida muito grande, pois houve muitos momentos de alegria, busca, empenho e fidelidade. Na medida em que as irmãs iam narrando as suas experiências de vida, percebemos que as dificuldades e sofrimentos também estavam presentes.

No dia da festa, acompanhadas de seus familiares, irmãs e comunidades madrinhas, as jublantes se dirigiram à igreja matriz Cristo Rei de Não Me Toque, em que houve solene missa de ação de graças, em gratidão pele fidelidade vivida durante estes anos e pela missão realizada com muito empenho e alegria. A celebração teve, de fato, um cunho muito solene, também por ser o dia de Pentecostes. Após a celebração, todos os convidados dirigiram-se ao salão Paroquial Cristo Rei para o almoço de confraternização. Foi servido um suculento almoço e, como de costume, não faltou o tradicional bolo com sagu. A alegria foi intensa e nem a chuvinha fina atrapalhou a festa. Desejamos que estas Irmãs jubilantes possam continuar a sua caminhada com alegria e a bênção de Deus, por muitos anos.

Irmã Maria Lori Steffen, SND

DSC_0012 DSC_0011 DSC_0002

 

DSC_0057 DSC_0003 DSC_0020

DSC_0026 DSC_0017 DSC_0063

DSC_0065 DSC_0073 DSC_0075

DSC_0079 DSC_0080 DSC_0081

DSC_0086 DSC_0089 DSC_0105

DSC_0106 DSC_0107 DSC_0108

DSC_0109 DSC_0110 DSC_0112

DSC_0113 DSC_0114 DSC_0118

DSC_0129 DSC_0135 DSC_0178

DSC_0181 DSC_0185 DSC_0187

DSC_0189 DSC_0247 DSC_0249

DSC_0250 DSC_0251 DSC_0252

DSC_0041 DSC_0029 DSC_0028

DSC_0253 DSC_0254 DSC_0258

DSC_0261 DSC_0289 DSC_0296

DSC_0323 DSC_0344 DSC_0345

DSC_0347 DSC_0353 DSC_0360

DSC_0365 DSC_0368 DSC_0374

DSC_0383 DSC_0392 DSC_0404

DSC_0409 DSC_0415 DSC_0417

DSC_0439 DSC_0452 DSC_0460

DSC_0487 DSC_0495 DSC_0504

DSC_0508 DSC_0511 DSC_0513

DSC_0521 DSC_0524 DSC_0528

DSC_0532

 

 

 

 

vocacional-nd-irma-lenice

IRMÃ LENICE REBELATO

vocacional-nd-irma-lenice

                                              Irmã Lenice Rebelato

Sou Ir. Lenice Rebelato, natural de Ibirubá/RS. Aos 13 anos, comecei a pensar em ser irmã após ter lido histórias de pessoas que seguiram Jesus, ajudando o próximo. Falei do meu desejo aos meus pais. Procuramos, então, as Irmãs de Nossa Senhora em Ibirubá. No ano seguinte, iniciei minha caminhada formativa no juvenato, em Não-Me-Toque/RS.

Quando olho para trás, vejo que o apoio e o clima familiar ajudou para que eu cultivasse minha vocação. Costumávamos cantar hinos marianos e isto fez com que Maria estivesse bem presente em minha vida. As histórias bíblicas que meu pai contava faziam-me refletir sobre o sentido da vida. Além da família, encontrei muitas pessoas que me ajudaram a seguir com coragem e alegria.

Após minha caminhada formativa, decidi colocar minha vida a serviço do Reino de Deus, como Irmã de Nossa Senhora. Fui direcionando minha vida para a missão educativa. Gostava muito de dar aulas, percebia que a educação é caminho para a transformação social. Entusiasmava-me ao ver as crianças e os jovens voltarem-se para o cuidado da vida, para gestos de fraternidade. Meu trabalho na educação continua através da Pastoral Vocacional. Sinto-me feliz ao ver jovens que assumem sua vocação, respondendo “Sim” ao chamado que Jesus lhes faz.

Entristece-me ver tantos jovens desperdiçando sua preciosa vida. Perdem a chance de descobrir seus dons, sua vocação… perdem assim a chance de ser feliz.

O carisma das Irmãs de Nossa Senhora: Experienciar a bondade Deus e seu amor providente é algo grande. Cada dia, Deus se revela de forma nova. Sinto-me chamada a ajudar outros a também fazerem a experiência de Deus em suas vidas, percebendo o quanto Ele os ama, e isto se torna um projeto de vida.

Como já dizia Santa Júlia: “O bom Deus é muito bom! Ele nos agracia ao chamar-nos a seu santo serviço!”

 

DSC_5627

Família Notre Dame em festa

No dia 13 de maio comemora-se o dia de Santa Júlia e o dia do Educador Notre Dame

O dia 13 de maio é uma data especial para as irmãs, estudantes, funcionários e educadores da Rede de Educação Notre Dame. Neste dia, comemora-se o dia de Santa Júlia Billiart e o dia do Educador Notre Dame. Presente no início da Congregação das Irmãs de Notre Dame, o espírito e o carisma de Santa Júlia está presente em 19 países e em mais de 2.000 religiosas, somente na terceira Congregação das Irmãs de Notre Dame.

Notre-Dame (4)Em 1984, durante o I Congresso Nacional de Educadores Notre Dame, definiu-se então que o dia 13 de maio – dia litúrgico da festa de Santa Júlia – seria comemorado também o dia do Educador Notre Dame, em homenagem à “grande educadora” Júlia Billiart. Entre suas frases mais difundidas entre os educadores está: “Educar é uma obra divina”.

Nas instituições de ensino que integram a Rede de Educação Notre Dame em Passo Fundo, os dias que antecederam a comemoração da data foram de homenagens, respeito e gratidão. No Colégio Notre Dame e na Escola Notre Dame Menino Jesus a espiritualidade da santa educadora que norteia a pedagogia Notre Dame de educar com bondade e firmeza e de anunciar o amor providente do bom Deus foram objetos de orações e estudos entre estudantes e educadores.

No Colégio Notre Dame os estudantes da Educação Infantil até o 6º Ano, do Ensino Fundamental, participaram de encontros de espiritualidade na capela. Nas atividades organizadas pela Notre-Dame (2)coordenadora da Pastoral Escolar, Irmã Teresinha Barcarolo, os educandos aprenderam através de símbolos e imagens, um pouco mais sobre a história e vida de Santa Júlia. Já os estudantes do 7º Ano do Ensino Fundamental até a 3ª Série do Ensino Médio desenvolveram atividades em sala de aula, sob a coordenação dos educadores responsáveis pela disciplina de Ensino Religioso.

Na Escola Notre Dame Menino Jesus, os estudantes e educadores participaram de celebrações de agradecimento pela vida de Santa Júlia e pela fundação da Rede de Educação Notre Dame. Refletiram ainda sobre o papel da Escola Notre Dame no mundo de hoje e para o futuro: Tornar o Bom Deus conhecido e amado e ensinar tudo o que for necessário para preparar as crianças para a vida e colocá-las no caminho da salvação.

Durante todo o dia 13 de maio homenagens serão prestadas aos educadores Notre Dame.

 http://passofundo.notredame.org.br/familia-notre-dame-em-festa/

 

Brazilian-pilgrims2015-3_w630

PEREGRINAÇÃO EM ROMA

No dia 30 de abril, sete irmãs das Províncias de Passo Fundo e 11148705_1006408962710304_1223782688637233140_nCanoas, Brasil, começaram sua Peregrinação Congregacional. São as Irmãs Maria Inês Zeiser, Norma Maria Specht, Lisane Martins, Melita Delcia Martins, Ivanite Mazon, Marivete Terezinha Brun e Inês Hackenhaar.

Elas começaram sua peregrinação em Roma e viajarão para a Alemanha no dia 11 de maio, seguindo as pegadas de nossas primeiras irmãs de Coesfeld. As Irmãs tiveram o prazer de lembrar sua pátria, quando estavam entre as azaleias em plena floração.

Também chegaram em tempo de participar da Tradicional Festa de Coração de Nossa Senhora, na Casa Mãe, no dia 2 de maio, durante a qual o membro mais jovem da comunidade coroou Maria. Irma Maria Esther carregou a coroa e Irmã Maria Michael coroou Maria, enquanto a comunidade caminhava pelos gramados parando em grupos nos diversos capiteis de Maria, recitando o rosário. Este é o primeiro grupo de peregrinas de 2015. Esperamos acolher mais peregrinas da Coreia, Índia e Estados Unidos nos próximos meses.

11207281_1007714039246463_340184927371743627_n   11150650_1006408592710341_4033905436369173815_n   11140073_1007706232580577_6782629052247426559_n

Brazilian-pilgrims2015-3_w630

 

 

 

vocacional-nd-irma-marilene

IRMÃ MARIA MARILENE RODRIGUES

Alegro-me em partilhar com você a minha história vocacional

A vocação nasce na Família,

cresce na Comunidade,

amadurece na Oração

e dá fruto na Missão.

vocacional-nd-irma-marilene

Sou Irmã Maria Marilene Rodrigues, da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora. Sou natural de Tarauacá, AC. Motivada pelo Carisma e Missão das Irmãs de Nossa Senhora, fui descobrindo, aos poucos, que Deus me chamava para fazer parte desta família religiosa.

Iniciei meu processo vocacional na minha cidade de origem, participando dos encontros vocacionais e atuando na Pastoral da Criança e da Liturgia. Foi nesse processo de atuação que percebi o clamor e as necessidades de tantos irmãos e ao mesmo tempo sentindo as inquietações do coração e os apelos de Deus. Então, decidi ir para a casa de formação, em Rio Branco/AC.

Acredito que a minha família foi um marco muito importante no meu processo vocacional, pelos valores cristãos que nela aprendi: responsabilidade, honestidade, caridade e fidelidade.

Após dois anos de convivência com as Irmãs e colegas de grupo, fui desafiada a continuar a minha caminhada vocacional, no Rio Grande do Sul: Carazinho, Passo Fundo, Não Me Toque e Espumoso. Fiz boas amizades e bonitas experiências com as Irmãs e com o povo gaúcho. Durante este período, tive a oportunidade de realizar o Curso Técnico de Enfermagem e a Faculdade de Enfermagem, além de cursos de formação pessoal e ainda Teologia de Férias.

Sou muito grata à Congregação pelo investimento em minha formação, tanto vocacional como profissional.

Hoje sou enfermeira e gosto muito do que faço. Procuro cuidar da vida em todas as suas dimensões. A frase-força que me acompanha na missão: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância.” (Jo 10,10).

Atualmente, resido em Cruzeiro do Sul, AC e moro na comunidade Nossa Senhora da Saúde, onde trabalho no Hospital Juruá.

O que realmente significa ser Irmã de Nossa Senhora, hoje, num mundo secularizado e iludido pelo bombardeio de informações que seduzem apenas aos prazeres da vida, à indiferença dos verdadeiros valores que engrandecem o ser humano? Ser Irmã de Nossa Senhora é dizer ao mundo que é possível viver a Consagração Religiosa, acreditando em Jesus Cristo que chama e envia para a missão. Ele é o referencial da Vida Religiosa Consagrada.

Cada dia procuro vivenciar seu amor, através da vida comunitária, da dedicação aos irmãos doentes e seus familiares e aos colegas de trabalho. Nesta gratuidade, busco força e coragem na Palavra de Deus e na Eucaristia, na oração do terço e no encontro comigo mesma, com Deus e os irmãos.

Jovem, venha fazer parte dessa família das Irmãs de Nossa Senhora! Não tenha medo de fazer parte desta família. Jesus Cristo chama. Ele conta com você.

Irmã Maria Marilene Rodrigues, snd

DSC_0203

Retiro dos Grupos de Santa Júlia

DSC_0211Nos dias 17 a 19 de Abril estiveram reunidos na Casa Santa Cruz, 34 leigos, com as Irmãs que coordenam os Grupos de Santa Júlia, para o VIIIº Retiro de Aprofundamento de sua Espiritualidade.

Como os Grupos vivenciam o lema: “Tornar o Bom Deus sempre DSC_0224mais conhecido e amado”, refletimos e rezamos o tema; “Jesus como Terapeuta”, o que sem dúvida, ajudou aos participantes a aprofundarem a sua fé em Jesus Cristo e seu compromisso de testemunhá-Lo lá onde vivem e trabalham. Participaram representantes dos Grupos de Santa Júlia de Carazinho, Constantina, Espumoso, Nova Boa Vista e Passo Fundo.

Os Retirantes tiveram uma participação muito ativa, pois todos os Grupos prepararam uma encenação das Parábolas ou Milagres de Jesus Cristo, o que os motivou a já iniciarem o Retiro em casa.
É sempre edificante ver como estes Leigos aproveitam com fé e gratidão esta oportunidade que a Congregação lhes oferece. E pedem sempre de novo: Que as Irmãs nunca deixem de proporcionar estes momentos de graça para eles.

E nós, Irmãs que assessoramos estes Grupos, ficamos felizes eDSC_0230 agradecidas, pois percebemos visivelmente que as Sementes lançadas estão produzindo frutos abundantes.

Em nome da Equipe, nossa gratidão a Deus e a Província por esta oportunidade que nos é oferecida de sermos fiéis àquilo que as Constituições nos pedem: “A Igreja envia-nos pela Congregação, a ajudar nossos irmãos e irmãs a orientarem sua vida pra Deus, na fé, a fim de que façam, também eles, a experiência do seu amor” (Art. 3).

                                    Irmã Amélia Maria Weschenfelder, SND

DSC_0189   DSC_0187  DSC_0203

DSC_0211  DSC_0208  DSC_0230

DSC_0224   DSC_0209   DSC_0210

DSC_0234   DSC_0235   DSC_0236

DSC_0237   DSC_0238   DSC_0239

DSC_0240   DSC_0241   DSC_0245

DSC_0246   DSC_0249   DSC_0251

DSC_0258   DSC_0259   DSC_0260

DSC_0261   DSC_0264   DSC_0263

DSC_0262   DSC_0265   DSC_0266

DSC_0273   DSC_0271   DSC_0270

DSC_0269   DSC_0268   DSC_0274

DSC_0275   DSC_0277  DSC_0278

DSC_0276   DSC_0280   DSC_0281

DSC_0287   DSC_0288   DSC_0286

DSC_0285   DSC_0282   DSC_0289

DSC_0290   DSC_0291   DSC_0292

DSC_0293   DSC_0294   DSC_0296

DSC_0297   DSC_0302   DSC_0301

DSC_0303   DSC_0304   DSC_0305

DSC_0312   DSC_0311   DSC_0309

DSC_0307   DSC_0313   DSC_0314

DSC_0315   DSC_0316   DSC_0318

DSC_0321   DSC_0322   DSC_0323

DSC_0325   DSC_0324   DSC_0329

DSC_0330   DSC_0332   DSC_0334

DSC_0335   DSC_0336   DSC_0339

DSC_0337   DSC_0340   DSC_0341

DSC_0342   DSC_0343   DSC_0344

DSC_0345   DSC_0346   DSC_0347

DSC_0349   DSC_0352   DSC_0355

DSC_0356   DSC_0358   DSC_0359

DSC_0360   DSC_0361   DSC_0362

DSC_0363   DSC_0366   DSC_0367

DSC_0368   DSC_0369   DSC_0370

DSC_0371   DSC_0372   DSC_0373

DSC_0374   DSC_0375   DSC_0376

DSC_0377   DSC_0378   DSC_0379

DSC_0380   DSC_0381   DSC_0382

DSC_0383   DSC_0384   DSC_0385

DSC_0386   DSC_0387   DSC_0388

DSC_0389

Jesus-O-meu-bom-pastor

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O 52º DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

(26 de Abril de 2015 – IV Domingo de Páscoa)
Tema: “O êxodo, experiência fundamental da vocação!”.

Amados irmãos e irmãs!

O IV Domingo de Páscoa apresenta-nos o ícone do Bom Pastor, que good-shepherd-2conhece as suas ovelhas, chama-as, alimenta-as e conduz- as. Há mais de 50 anos que, neste domingo, vivemos o Dia Mundial de Oração pelas Vocações. Este dia sempre nos lembra a importância de rezar para que o «dono da messe – como disse Jesus aos seus discípulos – mande trabalhadores para a sua messe» (Lc 10, 2). Jesus dá esta ordem no contexto dum envio missionário: além dos doze apóstolos, Ele chamou mais setenta e dois discípulos, enviando-os em missão dois a dois (cf. Lc 10,1-16). Com efeito, se a Igreja «é, por sua natureza, missionária» (Conc. Ecum. Vat. II, Decr. Ad gentes, 2), a vocação cristã só pode nascer dentro duma experiência de missão. Assim, ouvir e seguir a voz de Cristo Bom Pastor, deixando-se atrair e conduzir por Ele e consagrando-Lhe a própria vida, significa permitir que o Espírito Santo nos introduza neste dinamismo missionário, suscitando em nós o desejo e a coragem jubilosa de oferecer a nossa vida e gastá-la pela causa do Reino de Deus.

A oferta da própria vida nesta atitude missionária só é possível se formos capazes de sair de nós mesmos. Por isso, neste 52º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, gostaria de refletir precisamente sobre um «êxodo» muito particular que é a vocação ou, melhor, a nossa resposta à vocação que Deus nos dá. Quando ouvimos a palavra «êxodo», ao nosso pensamento acodem imediatamente os inícios da maravilhosa história de amor entre Deus e o povo dos seus filhos, uma história que passa através dos dias dramáticos da escravidão no Egito, a vocação de Moisés, a libertação e o caminho para a Terra Prometida. O segundo livro da Bíblia – o Êxodo – que narra esta história constitui uma parábola de toda a história da salvação e também da dinâmica fundamental da fé cristã. Na verdade, passar da escravidão do homem velho à vida nova em Cristo é a obra redentora que se realiza em nós por meio da fé (Ef 4, 22-24). Esta passagem é um real e verdadeiro «êxodo», é o caminho da alma cristã e da Igreja inteira, a orientação decisiva da existência para o Pai.

Na raiz de cada vocação cristã, há este movimento fundamental da experiência de fé: crer significa deixar-se a si mesmo, sair da comodidade e rigidez do próprio eu para centrar a nossa vida em Jesus Cristo; abandonar como Abraão a própria terra pondo-se confiadamente a caminho, sabendo que Deus indicará a estrada para a nova terra. Esta «saída» não deve ser entendida como um desprezo da própria vida, do próprio sentir, da própria humanidade; pelo contrário, quem se põe a caminho no seguimento de Cristo encontra a vida em abundância, colocando tudo de si à disposição de Deus e do seu Reino. Como diz Jesus, «todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a vida eterna» (Mt 19, 29). Tudo isto tem a sua raiz mais profunda no amor. De facto, a vocação cristã é, antes de mais nada, uma chamada de amor que atrai e reenvia para além de si mesmo, descentraliza a pessoa, provoca um «êxodo permanente do eu fechado em si mesmo para a sua libertação no dom de si e, precisamente dessa forma, para o reencontro de si mesmo, mais ainda para a descoberta de Deus» (Bento XVI, Carta enc. Deus caritas est, 6).

A experiência do êxodo é paradigma da vida cristã, particularmente de quem abraça uma vocação de especial dedicação ao serviço do Evangelho. Consiste numa atitude sempre renovada de conversão e transformação, em permanecer sempre em caminho, em passar da morte à vida, como celebramos em toda a liturgia: é o dinamismo pascal. Fundamentalmente, desde a chamada de Abraão até à de Moisés, desde o caminho de Israel peregrino no deserto até à conversão pregada pelos profetas, até à viagem missionária de Jesus que culmina na sua morte e ressurreição, a vocação é sempre aquela ação de Deus que nos faz sair da nossa situação inicial, nos liberta de todas as formas de escravidão, nos arranca da rotina e da indiferença e nos projeta para a alegria da comunhão com Deus e com os irmãos. Por isso, responder à chamada de Deus é deixar que Ele nos faça sair da nossa falsa estabilidade para nos pormos a caminho rumo a Jesus Cristo, meta primeira e última da nossa vida e da nossa felicidade.

Esta dinâmica do êxodo diz respeito não só à pessoa chamada, mas também à actividade missionária e evangelizadora da Igreja inteira. Esta é verdadeiramente fiel ao seu Mestre na medida em que é uma Igreja «em saída», não preocupada consigo mesma, com as suas próprias estruturas e conquistas, mas sim capaz de ir, de se mover, de encontrar os filhos de Deus na sua situação real e compadecer-se das suas feridas. Deus sai de Si mesmo numa dinâmica trinitária de amor, dá-Se conta da miséria do seu povo e intervém para o libertar (Ex 3, 7). A este modo de ser e de agir, é chamada também a Igreja: a Igreja que evangeliza sai ao encontro do homem, anuncia a palavra libertadora do Evangelho, cuida as feridas das almas e dos corpos com a graça de Deus, levanta os pobres e os necessitados.

Amados irmãos e irmãs, este êxodo libertador rumo a Cristo e aos irmãos constitui também o caminho para a plena compreensão do homem e para o crescimento humano e social na história. Ouvir e receber a chamada do Senhor não é uma questão privada e intimista que se possa confundir com a emoção do momento; é um compromisso concreto, real e total que abraça a nossa existência e a põe ao serviço da construção do Reino de Deus na terra. Por isso, a vocação cristã, radicada na contemplação do coração do Pai, impele simultaneamente para o compromisso solidário a favor da libertação dos irmãos, sobretudo dos mais pobres. O discípulo de Jesus tem o coração aberto ao seu horizonte sem fim, e a sua intimidade com o Senhor nunca é uma fuga da vida e do mundo, mas, pelo contrário, «reveste essencialmente a forma de comunhão missionária» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 23).

Esta dinâmica de êxodo rumo a Deus e ao homem enche a vida de alegria e significado. Gostaria de o dizer sobretudo aos mais jovens que, inclusive pela sua idade e a visão do futuro que se abre diante dos seus olhos, sabem ser disponíveis e generosos. Às vezes, as incógnitas e preocupações pelo futuro e a incerteza que afecta o dia-a-dia encerram o risco de paralisar estes seus impulsos, refrear os seus sonhos, a ponto de pensar que não vale a pena comprometer-se e que o Deus da fé cristã limita a sua liberdade. Ao invés, queridos jovens, não haja em vós o medo de sair de vós mesmos e de vos pôr a caminho! O Evangelho é a Palavra que liberta, transforma e torna mais bela a nossa vida. Como é bom deixar-se surpreender pela chamada de Deus, acolher a sua Palavra, pôr os passos da vossa vida nas pegadas de Jesus, na adoração do mistério divino e na generosa dedicação aos outros! A vossa vida tornar-se-á cada dia mais rica e feliz.

A Virgem Maria, modelo de toda a vocação, não teve medo de pronunciar o seu «fiat» à chamada do Senhor. Ela acompanha-nos e guia-nos. Com a generosa coragem da fé, Maria cantou a alegria de sair de Si mesma e confiar a Deus os seus planos de vida. A Ela nos dirigimos pedindo para estarmos plenamente disponíveis ao desígnio que Deus tem para cada um de nós; para crescer em nós o desejo de sair e caminhar, com solicitude, ao encontro dos outros (cf. Lc 1, 39). A Virgem Mãe nos proteja e interceda por todos nós.

Vaticano, 29 de Março – Domingo de Ramos – de 2015.      Franciscus PP.

 

IMG_3605

Congresso da Vida Religiosa Consagrada

Em comemoração ao Ano da Vida Religiosa Consagrada, realizou-se IMG_3657nos dias 07 a 10 de abril, o 1º Congresso Nacional da Vida Religiosa Consagrada. O Congresso aconteceu no Centro de Eventos do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. Foram 2.200 os Religiosos que participaram. De nossa Província foram 52 as Irmãs que vivenciaram este acontecimento inédito.
As Irmãs do Sul, lotaram um ônibus e partiram em Romaria. Em Aparecida encontramos as demais Irmãs do Acre, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.
O tema do Congresso foi: Assumir o Núcleo Identitário da Vida IMG_3751Religiosa Consagrada: Atitude Profética, Processo Mistagógico. O lema que nos animou durante os dias todos foi: “Não ardia nosso coração quando ele nos falava pelo caminho” (Lc 24,32). O Objetivo Geral: “Animar, fazer arder o coração da Vida Consagrada para a missão e a profecia, em vista da vivência da Radicalidade do seguimento de Jesus Cristo, com alegria e esperança” foi desenvolvido com temas que responderam a este Objetivo.

O Congresso ofereceu momentos fortes, motivando os 2.200 11149297_1002271959785436_678416105289956701_nReligiosos a viver a fé a partir de dentro. Fazer silêncio do coração. Viver o mistério de Deus a partir de dentro.
Toda esta experiência para quê? Para que possamos partilhar com sempre mais ardor e convicção esta experiência com os irmãos em nossa Missão.
Com certeza foi uma oportunidade a mais para renovar a vivencia de nossa Vida Religiosa Consagrada e intensificar o nosso processo de Renovação Espiritual.
As Irmãs voltaram felizes e agradecidas por esta oportunidade que a Província lhes proporcionou. Com gratidão exclamamos: Oh! Quanto é bom o bom Deus!

Irmã Amélia Maria Weschenfelder. SND

 IMG_3605  IMG_3396 IMG_3398

IMG_3400 IMG_3403 IMG_3405

IMG_3407 IMG_3416 IMG_3423

IMG_3431 IMG_3471 IMG_3472

IMG_3473 IMG_3481 IMG_3482

IMG_3485 IMG_3486 IMG_3490

IMG_3538 IMG_3580 IMG_3595

IMG_3601 IMG_3655 IMG_3680

IMG_3697 IMG_3746 IMG_3760

IMG_3772 IMG_3773 IMG_3786

IMG_3787 IMG_3790 IMG_3792

IMG_3819 IMG_3831 IMG_3867

IMG_3877 IMG_3892 IMG_3882

IMG_3883 IMG_3895 IMG_3898

IMG_3900 IMG_3902 IMG_3905